quinta-feira, 10 de maio de 2007

Desejo

Entre as quatro paredes, duas sombras iluminadas por luzes trémulas despem-se do silêncio com arfares de desejo em cada movimento.
O luar penetrando pela janela, reflecte-se nas negras pupilas dilatadas que fitam nervosamente os lábios semiabertos que tanto anseia beijar.
As suas mãos procuram desesperadamente um apoio ao sentir a aproximação do corpo desnudado da outra.
E que melhor amparo que, o da única testemunha presente, aquela que acolherá cada suspiro da sua pele.
Os seus músculos relaxam-se e quase se deixa cair quando finalmente o calor das suas bocas se une, fazendo escorrer um arrepio ao longo da sua coluna vertebral, abandonando-se ao prazer do momento.

A tal história inspirada pela poppie! Thanks, my friend!!

6 comentários:

thunderstorm disse...

Está muito bonito, mas gostava mais se fosse um relato na primeira pessoa ;-) ficava feliz!
bj

Poppie disse...

ui... inspiro histórias... ui, ui...
o desejo e a vontade conseguem sempre colocar na nossa garganta palavras e sentimentos que por vezes não dizemos na primeira pessoa como refere thunderstorm, e que acabam por não se materializar... escreve-los já é um princípio para agarrar a vontade... digo eu na minha ingenuidade sonhadora...

The True Rodinhas disse...

Concordo com a thunderstorm e concordo com a poppie no sentido de que nem sempre relatamos na primeira pessoa os desejos e as nossas vontades, mas discordo quando ela diz : "... escreve-los já é um princípio para agarrar a vontade..."

A verbalização escrita de vontades e sentimentos, pode levar ao refrear dessas mesmas vontades e sentimentos.
Já diz o ditado, cão que ladra, não morde...

Ou não...

Thunder, a partir de agora os comentários já vão assinados, antes era anonimo

sm disse...

Stormy,
pode não ter sido escrita na primeira pessoa sem que tal implique que não seja um relato pessoal :)

Poppie,
a garganta é um orgão muito complicado para quem vive o desejo em silêncio e por vezes é preciso acordar as nossas próprias palavras com as vontades alheias...
E tu és uma excelente sonhadora!

Rodinhas,
Para continuar nos ditados: "Quem não te conheça que te compre!"
Nunca, de forma alguma, refreamos as nossas vontades ao verbaliza-las, apenas a escondemos em palavras que as limitam.

The True Rodinhas disse...

Meu amor!

Eu disse explícitamente :

Ou não...

;-)

a.c. disse...

Que elevação! Que contraste com o que vemos, sm! Bonito. beijo