segunda-feira, 7 de maio de 2007

Presa

Pairas sobre mim como aquelas nuvens que ameaçam chuva e solta-se a tempestade.
Uma única gota caída a teus pés é confundida com a insegurança de te querer.
Quando se afasta a névoa que cresce nos meus olhos, interpretada por ti com a imprudência de um amor adquirido, vejo finalmente o quanto perdi ao dar tanto de mim.
Nego o que mais desejo para libertar quem tanto amo e é nessa ausência que finalmente te desnudas.

2 comentários:

gingerbread disse...

Todos nós lutamos pela liberdade de amar.
Mas o amor é exactamente o que mais nos prende. É a essencia da vida, amar e sofrer. Ou não querer amar e não viver. Não negues nunca

Anónimo disse...

Acordei hoje, na página anterior…

De algum modo que não compreendo,

Estou presa ao passado!


Estou presa a ti…