sexta-feira, 27 de abril de 2007

Eu e Tu

Hoje bateu-me à porta o vazio.
Aquele que me preenche desde que me abandonaste.

Quando partiste, de sorriso nos lábios, não percebi que seria tão difícil viver sem ti.

Mal te conheci mas tenho-te presente em cada veia do meu corpo como o sangue que as percorre.

O tempo passou por nós como se fosse um dia e a ferida que deixaste continua profunda nesta alma solitária.

Deixaste-me somente o silêncio crescente de criança indesejada e carente.

Vivo o teu último sorriso como uma eterna carícia à minha memória.
Viverei eternamente pensando no que seria de nós se não tivesses ido...

6 comentários:

thunderstorm disse...

Sm:
Fazum favor a ti mesma, guarda o passado no sitio dele, naquele cantinho especial do teu coração, tecorda-o de vez em quando, mas por favor deixa de o viver. Começa a viver o presente, projecta o futuro.
Abre o teu coração a novas pessoas e a novas experiências.
Guarda o que é bom e guardar e começa a viver. Faz isso por ti!

Beijos

sm disse...

Querida Stormy ;)
Esta é uma memória muito especial.
Não a vivo todos os dias mas como disse hoje bateu-me e senti necessidade de fazer esta homenagem à minha mãe.

micati disse...

Então é disso que se trata.
Neste caso compreendo a sm. Como será chegar ao final do dia, mes ou ano e não ter uma coisa que se chama "casa"? aquele cantinho para onde fugimos, "porque o mundo é mau", onde nos escondemos, refugiamos, e temos o abraço. Aquele abraço que não temos que pedir por ele, que já está a nossa espera, mesmo antes de entrarmos. Eu não sei o que seria de mim, por mais sujo negro e pestilento que fosse, é AQUELE canto suave e cómodo, porque nem sempre há forças para continuar.
Não sei se é isso que sentes sm, mas é a minha opinião

sm disse...

micati,
O refúgio que me fez falta não foi o físico e sim o emocional. A ligação e a evolução em conjunto de uma relação que nos faz crescer, conhecer e reconhecer quem somos.
Mas sim esse abraço que nos espera ainda que com ar reprovador mas espera e sempre espera.

micati disse...

Ora vês que sabes?
Era precisamente esse cantinho de que falava. O emocional =)
Esse canto que mesmo "reprovador", como dizes, nos faz sentir mais seguros e crescer com mais estabilidade ;)
**

Anónimo disse...

Aquele dia...
Aquele dia em que te vi,
pela primeira vez.
Poderia ter sido outra qualquer...
Desde então, vives cá dentro...
Não consigo esquecer-te.