segunda-feira, 23 de abril de 2007

Com franqueza

Fraqueza não é sentir, não é ouvir, não é chorar.
Fraqueza é fugir de quem somos e de amar.
Fraqueza não é não saber quem somos mas deixar de procurar.
Não existe fraqueza em sonhar mas sim em mentir e magoar.
Não levanto a voz mas digo o que penso a quem quiser ouvir.
Grito em silêncio para espantar a dor e estendo a mão até ao maior estupor.
Sabem porque não temo dar a outra face?
Se uma palavra fere e duas ainda mais, nada dói tanto como a surpresa. A segunda nunca será tão forte como a primeira...
Aos que me magoam, respondo sorrindo pois tal não esperam.
E melhor resposta não existe do que deixar a própria vida provar-lhe o quão grande erro cometeram.
Não tenho inimigos, não me dou a esse trabalho.
Destes sei sempre com o que posso contar.
Já os “amigos” são bem mais difíceis decifrar.
Quando menos se espera desaparecem.
E quando mais precisamos viram-nos as costas.
Com franqueza vos digo:
Não existe maior beleza do que saber quem é nosso amigo.
E esses só se descobrem nos nossos momentos de fraqueza!

3 comentários:

micati disse...

já entendo o porque de não te achares fraca, sm. Mas só não entendo de onde vem tanta força para lidar assim com o mundo

sm disse...

Isso minha querida nem eu própria o sei. Talvez sejam as experiências da vida. Talvez seja porque lido melhor com o mundo desta forma. Talvez porque, apesar das desilusões, continuo a acreditar na beleza das coisas e das pessoas.

micati disse...

podias ensinar a tua forma de fazer isso. de ter forças tao no fundo que ninguem sabe de onde vem, mas tambem a acreditar... ja ninguem acredita hoje em dia