quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

2 minutos...




"Quem sou eu?"
"O que faço aqui?"
"Porque estou neste mundo?"
"E porque me sinto tão inútil?"

Não acredito que não haja um único ser humano que não se tenha feito estas perguntas...
E são perguntas às quais só nós próprios podemos encontrar a resposta...
Todos os grandes feitos do Homem não se concretizaram em dois minutos... E no entanto quando olhamos para eles sentimos-nos tão pequenos que dois minutos parecem uma vida de inutilidade...
Crescemos a ouvir dizer coisas como se não temos um curso, não somos ninguém... Se não temos dinheiro não somos nada... Se não temos família somos uns exilados...
Mas EU SOU alguém... Não tenho curso mas tenho conhecimentos... Não tenho dinheiro mas tenho amigos (e daqueles que valem mais que todo o dinheiro do mundo!!!)... Felizmente tenho família mas isso não me impede de me sentir uma exilada...
Não entendo!
Em tudo, parece que sou do contra...
Às vezes até gostava de ser como os outros... Mas não sou... E aprendi que a minha felicidade está precisamente nessa diferença... No meu orgulho em falhar... Em cair para levantar-me mais forte e mais rebelde que nunca... Quem disse que a rebeldia era uma coisa má???!!!
A minha maior paixão é viver... É aprender... É conhecer... É saber que o sol é o mesmo para todos mas nem todos sabem parar dois minutos para receber o seu calor...
A minha felicidade é deixar que a minha alma se alimente dos momentos felizes ainda que o meu corpo esteja a ferro e fogo...
A minha felicidade é saber que basta um palavra minha para ajudar alguém a sair da fossa...
A minha felicidade é ver-te sorrir...
E de nada me adianta ter todo o dinheiro do mundo, nem todos os conhecimentos se não souber fazer-te sorrir...
De que adianta ter a vida "perfeita" se não souber dar valor ao sabor de um beijo ou de um abraço?
Ou ao calor do sol que me acaricia a pele? Não... Não é aquele sol da praia para ficar com um bronze de meter inveja... Não é esse o sol que me aquece a alma... São mesmo aqueles dois raios que sobrevivem por entre as nuvens num dia de chuva... É o calor num dia de inverno em que quase não consigo sentir o nariz... É nesse sol que me quero banhar... É esse calor que me faz acreditar que sou alguém e que não posso ser tão inútil assim...

Não há dia que passe sem que me pergunte a razão da minha existência... Que contributo dou eu a este mundo sobrecarregado de história, de magníficas conquistas e descobertas...
Sinceramente penso que faço parte daquele grupo de "inúteis" que provavelmente nunca vão inventar nada grande o suficiente para deixar o mundo em êxtase... Mas pouco importa...
Cada dia descubro coisas novas e diferentes... Novidades com milhões de anos... Palavras que nunca sonhei existirem e parece terem sido inventadas só para mim... Todos os dias são uma novidade para mim....
Gosto de descobrir... Nem que seja só para mim.... Sim, porque por vezes ao partilhar descubro que era a única que desconhecia tal facto... Acontece... Paciência... Não tenho medo de admitir o que desconheço...
Mas dois minutos bastam para descobrir a minha verdadeira razão neste mundo... Basta que o meu olhar se cruze com o teu... Uma palavra tua e o meu céu inunda-se de sol... De repente todos os grandes feitos se tornam pequenos comparados à maravilhosa presença de outro ser humano... E as minhas dúvidas dissipam-se no brilho dos teus olhos...
De mim apenas fica uma presença que repete incessantemente: Não sou nada, nem ninguém... Apenas mais uma bactéria neste infinito universo... Mas sou feliz com o nada que sou e com o ninguém que tenho...

1 comentário:

Zaza disse...

em dois minuto fixeste sentir que voltaste, com inspiracao suficiente para fazer prender tantos ninguens diferentes na tua pagina ;-) um beijo grande!